• 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00
    • Vídeo

    Assassinos de motorista de aplicativo são presos

    Há 3 semanas 16/10/2018

    Manaus - AM A Polícia Civil do Amazonas, por meio das equipes da Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv) e 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP), deflagrou nos dias 15 e 16 de outubro deste ano, em lugares distintos da capital, a operação “Rota 99”, que resultou no cumprimento de mandados de prisão temporária por latrocínio e associação criminosa, em nome de quatro pessoas, envolvidas em latrocínio que teve como vítima o motorista de aplicativo de transporte privado urbano Sidney Barbosa de Araújo, que tinha 41 anos. O crime ocorreu na madrugada no dia 28 de setembro deste ano.


    Sob o comando dos delegados Cícero Túlio e Raul Augusto Neto, titulares, respectivamente, da Derfv e 12º DIP, a ação resultou nas prisões dos casais Adélia Frota Dias, 37, e Joel Dantas da Silva, 43; Alice Almeida de Souza, 34, e Junio da Silva Pereira, 34, conhecido como “J2”. Conforme as autoridades policiais, a operação teve por objetivo cumprir ordens judiciais em nome de indivíduos envolvidos em roubos de veículos e latrocínios na capital.


    O resultado dos trabalhos foi divulgado durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta terça-feira (16/10), às 15h, no prédio do 12º DIP, onde também fica a Derfv. Na ocasião, Cícero Túlio informou que no momento do roubo do veículo de Sidney, ele reagiu à abordagem dos infratores e acabou sendo morto. Conforme o delegado, o corpo da vítima foi encontrado ainda na manhã do dia 28 de setembro deste ano, em um matagal na rua Rio Acari, Conjunto Colina do Aleixo, bairro São José Operário, zona leste da capital.


    “A vítima estava com uma faca cravada em um dos olhos e apresentava diversas lesões pelo corpo, provocadas, também, por arma branca. Antes mesmo da constatação da morte de Sidney, já havíamos iniciado as investigações em torno da subtração do veículo que ele conduzia. Assim que o corpo dele foi encontrado, as diligências avançaram no sentido de identificar as pessoas envolvidas neste caso de latrocínio. Constatamos, ao longo dos trabalhos, que cada um tinha uma função específica. O bando apresentado integra uma organização criminosa especializada em roubos de veículos e latrocínios ocorridos na capital”, argumentou Cícero Túlio.


    De acordo com o titular da Derfv, Adélia seria responsável em solicitar corridas, por meio do aplicativo de transporte privado urbano cadastrado no nome do companheiro dela, Joel. Dessa forma, ela entrava em contato com Junio e Luciano Bezerra Ramos, 19, conhecido como “Pivete”, que permanece sendo procurado polícia, para que eles efetuassem os roubos. O delegado afirmou, ainda, que Adélia e Joel recebiam comissões por participarem desses esquemas criminosos.  

    Cícero Túlio relatou, ainda, queAlice tinha como função dar apoio logístico nas ações criminosas, cedendo a própria casa para abrigo dos infratores e também para armazenar os produtos provenientes dos roubos. Ao longo das diligências, as equipes policiais verificaram que, após o latrocínio, o grupo iria se desfazer do carro da vítima e tentou conseguir material para atear fogo no veículo.

    No entanto, as equipes da Derfv e 12° DIP conseguiram, no dia 4 de outubro deste ano, localizar e recuperar o automóvel, modelo Gol, da montadora Volkswagen, de cor azul, abandonado no bairro Parque Dez de Novembro, zona centro-sul.


    Ao longo da coletiva de imprensa, o delegado Raul Neto comentou sobre os locais das prisões dos infratores. “Adélia foi presa na rodovia federal BR-174, enquanto Joel foi preso no beco São Sebastião, quarta etapa do Conjunto Shangrilá, bairro Parque Dez de Novembro. Já Alice e Junio foram localizados no ramal da Comunidade Canoas, situada na zona rural de Presidente Figueiredo. Em depoimento na delegacia, eles negam participação no crim. Eles alegam que “Pivete” foi o responsável pelo delito. No entanto, já temos a certeza de que eles participaram da ação. Os depoimentos comprovam a participação de todos”, disse.


    Outros crimes em investigação -Junio e o foragido da Justiça Luciano também estão sendo investigados por participação em homicídio ocorrido no dia 1º de outubro deste ano, no bairro Parque Dez de Novembro. O caso está sendo investigado pela equipe daDelegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).


    Indiciamentos - As ordens judiciais em nome de Adelia, Joel, Alice e Junio foram expedidas pela juíza Careen Aguiar Fernandes, da 7ª Vara Criminal de Manaus. O grupo será indiciado por latrocínio e associação criminosa. Ao término dos procedimentos na delegacia, os infratores serão encaminhadosà Central de Recebimento e Triagem (CRT) do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), respectivamente, onde irão permanecer à disposição da Justiça.


    Agradecimentos – Visivelmente emocionada, a esposa da vítima, uma mulher de 37 anos, agradeceu o empenho dos policiais civis que atuaram no caso. “Agradeço a todos os policiais civis pela elucidação do caso e prisões desses infratores. Fico com o coração mais tranquilo, pois conseguiram tirar de circulação esses elementos, responsáveis pela morte do meu marido. Não consigo conter as lágrimas. A dor é muito grande pela perda do meu marido. Precisamos que a justiça seja feita, para que eles nunca mais fiquem livres, por favor”, disse. 





    • 1
    • 2
    #LATROCINIO

    MAIS IMEDIATO