• 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00
    • Texto e Foto

    Comunidade Darora apresenta mostra resgatando a valorização identidade cultural dos povos indígenas em Boa Vista - RR

    Há 3 meses 16/08/2018


    • 1
    • 7
    #EVENTOS

    Boa Vista – RR | Com o tema "Minha Identidade: Quem sou eu?", alunos da Escola Municipal Indígena Vovó Teresa da Silva, da Comunidade Darora, se apresentaram em uma mostra cultural nesta quarta-feira, 15, que reuniu os 40 estudantes, suas famílias da comunidade, além de servidores da Prefeitura de Boa Vista.  O evento foi promovido com apoio da Secretaria Municipal de Educação.

    A mostra teve como objetivo despertar nas crianças o senso de valorização da sua cultura e da sua língua materna, auxiliando-os na construção da sua própria identidade, promovendo a socialização e a interação com as demais comunidades.

    Foram expostos pelos alunos projetos pedagógicos que são resultados do trabalho feito nas disciplinas de história e geografia. Os visitantes apreciaram, desde os trajes tradicionais, a língua, a dança, como também degustaram as comidas e bebidas típicas, como pajuaru, caxiri e a damorida.

    Ao todo, cinco projetos foram apresentados para a comunidade. O Projeto Damurida, das turmas de 1º e 2º período, levou a iguaria indígena para degustação e apreciação dos visitantes. O Projeto "Pajuaru", dos 1º e 2º Ano, levou essa tradicional bebida típica dos povos indígenas feita de mandioca. Já o Projeto Fibra, das turmas do3º e 4º Ano, apresentou os trajes tradicionais dos índios feitos de fibra dos buritizais, confeccionados pelos próprios alunos e professores.

    Os alunos do 5º Ano, como Projeto Arco e Flecha, fizeram uma demonstração de caça a um animal com o uso do arco e flecha. E por fim, o projeto Grafismo Indígena, levou ao evento um pouco sobre a língua materna da região, o macuxi. Cada turma teve oportunidade de expor seus trabalhos e o evento foi encerrado com a dança parixara, herança cultural dos povos indígenas.

    A aluna, Hildarlene Peixoto, 9 anos, do 4º Ano, estava caracterizada com os trajes que ela mesma produziu. Ela falou como foi aprender a fazer a saia, o top, o cocar e todos os acessórios, feitos com o que é encontrado na natureza. "O bom é que agente aprendeu a fazer as roupas. Fomos ao buritizal, pegamos o olho do pé de buriti, fervemos e foi onde conseguimos a fibra. Depois fizemos o processo de produção, enfeites e costura", disse a menina.

    A Darora é uma comunidade familiar de indígenas da etnia macuxi composta por cerca de 50 famílias com aproximadamente 260 pessoas. A tuxaua, Marinalda Augusto, 48 anos, prestigiou o evento da escola e, segundo ela, os projetos destacam as tradições indígenas,que são desde os trajes, língua até as principais iguarias apreciadas em todo o Brasil.

    "Essa geração de hoje tem pouco conhecimento sobre suas origens e cultura. O povo tem perdido os costumes, a tradição e não tem passado isso para seus filhos. Hoje vejo que a escola tem um papel muito importante nesse processo, que é justamente resgatar essa nossa identidade, ora perdida no tempo devido a modernização do povo indígena", disse.

    Confira a Programação das Mostras das demais unidades indígenas  de ensino

    16.08 - Maria de Lourdes e Francisca Gomes;

    20.08 - Vicente André;

    21.08 - Ignes Benedicto e Vovó Terezinha;

    24.08 - José David e Leila Maria;

    27.08 - Dukuzyy Sebastião;

    29.08 - Koko Ermelinda e Tuxaua Albino;

    30.08 - Clemente dos Santos;

    31.08 - Vovó Antônia Celestina


    MAIS IMEDIATO