• 00
  • :
  • 00
  • :
  • 00
    • Texto e Foto

    No Amazonas estudantes de Direito atuam como voluntários na Semana Nacional da Conciliação

    Há 1 mes 09/11/2018


    • 1
    • 2
    #EDUCACAO


    Manaus-Am | Estudantes de cursos de Direito matriculados em instituições de ensino superior do Amazonas tiveram a oportunidade de participar, como voluntários, da Semana Nacional da Conciliação. 


    A participação fortaleceu o trabalho desenvolvido pelo Poder Judiciário no período e também contribuiu com a formação dos futuros operadores do Direito.


    Na Comarca de Manaus, previamente capacitados, os graduandos voluntários atuaram no Centro Judiciário de Solução Consensual de Conflitos (Cejusc/Cível), localizado no 4° andar do Fórum Ministro Henoch Reis, bairro de São Francisco.


    As atividades do Cejusc/Cível contaram com a participação de aproximadamente 25 graduandos por turno – manhã e tarde – e nelas estiveram presentes graduandos da Escola Superior Batista do Amazonas (Esbam), Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) e Centro Universitário do Norte (Uninorte/Laureate).


    A servidora do TJAM e instrutora em formações de mediadores e conciliadores, Valda Calderaro informou que para colaborar da melhor forma possível com o Judiciário, os estudantes participaram de uma formação técnica organizada em 12h/aula.


    “A Corregedoria-Geral de Justiça, que é a organizadora da SNC, sugeriu esta capacitação para que obtivéssemos os melhores resultados possíveis durante a Semana. Assim sendo, conduzimos esta capacitação apresentando, antecipadamente aos estudantes, uma vivência próxima do que ocorreu, na prática, durante as audiências pautadas junto ao Cejusc/Cível, que centralizou demandas envolvendo Direito do Consumidor”, informou Valda Calderaro.


    Conforme a instrutora, apesar da CGJ ter solicitado apenas 20 alunos por instituição, a participação na capacitação foi bem maior. “A Esbam, por exemplo, optou por oportunizar a experiência para um número maior de estudantes e designou 20 graduandos (diferentes) em cada um dos cinco dias da semana”, informou.


    “Na SNC os estudantes colocaram em prática todo o conhecimento adquirido no âmbito da graduação acadêmica e esta experiência é importante, pois para ser um bom profissional, não basta só a teoria mas a vivência da prática forense”, afirmou a professora da Esbam, Jaqueline Viegas.


    A docente Alessandra Cantiero, coordenadora da Fametro, também lembrou os benefícios do treinamento. “Os acadêmicos aguardaram ansiosos o treinamento no qual foram transmitidas técnicas imprescindíveis para a realização dos trabalhos pretendidos. Estas técnicas auxiliaram os graduandos durante as audiências e certamente contribuíram para a formação deles, que serão futuros profissionais do Direito”, comentou a professora.


    Para os professores coordenadores dos cursos de Direito das instituições participantes, o convite do Tribunal de Justiça do Amazonas consolida o trabalho realizado dentro dos núcleos de prática jurídica (NPJ) onde os jovens são orientados a atuar como conciliadores, sempre buscando a melhor solução para as partes litigantes. “Dentro dos objetivos do Uninorte/Laureate, além da melhor formação acadêmica dos discentes, estão a promoção da cultura da paz, sem a qual o progresso não é possível, além da colaboração efetiva com o aparato judiciário”, afirmou o professor e coordenador do NPJ do Uninorte, Carlos Augusto Alvarenga de Barros.


    O professor do Uninorte acrescentou que parceria com o TJAM representou o coroamento do trabalho no NPJ, que orienta a paz social. “É a real prática da solução dos conflitos que nos chegam diuturnamente para dirimir, onde atuamos acreditando que a melhor solução é a acordada a partir da mediação, pois está transcende o litígio em si, tornando possível restaurar os laços rompidos. Não se trata apenas de pôr fim aos processos e baixar o estoque de autos, mas de melhorar a vida das pessoas” disse o coordenador.


    Fotos: Acervo (Instituições de ensino superior)


    MAIS IMEDIATO