Alejandro Valeiko coloca tornozeleira eletrônica para responder crime de assassinato em liberdade


Manaus – Investigado como principal suspeito da morte do engenheiro Flavio Rodrigues, o enteado do prefeito de Manaus – Alejandro Molina Valeiko – recebeu da Justiça o privilégio de responder ao processo em liberdade.

Durante a noite desta sexta-feira (27) Alejandro esteve acompanhado junto de seus advogados de defesa no Centro de Operações e Controle, situado no bairro Cachoeirinha, na zona Sul da cidade. Na unidade Alejandro passou pelo processo de registro de tornozeleira eletrônica e posteriormente a colocação do aparelho em sua perna.

Anúncios

A partir de agora o suspeito passa a responder pelo processo de acusação de assassinato em liberdade mas terá os passos monitorados pela Justiça.

Entenda o caso 

Manaus-AM | O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio Noronha, decidiu conceder Habeas Corpus para Alejandro Molina Valeiko, preso no Centro de Detenção Provisória Masculina 1 (CDPM), na capital do Amazonas, e o enteado do prefeito deve ser posto em liberdade. De acordo com consulta processual, foi concedida medida liminar. A informação é de 20h12min desta quinta-feira (26/12), no horário de Brasília.

O recurso foi ingressado no domingo (22/12) pelo advogado criminalista Alberto Zacharias Toron, conhecido como “Rei dos Habeas Corpus”, e outros, com atuação na capital federal. A contratação foi feita recentemente. A fama de não se resignar com uma decisão contrária e de impetrar recursos de todo tipo transformou Toron em um dos advogados mais procurados e mais caros da Lava Jato. Casos importantes são cobrados na casa dos milhões de reais.

O 2º Tribunal do Júri de Manaus e o Tribunal do Estado do Amazonas (TJAM) devem ser informados e também enviar mais informações referente a prisão preventiva de Alejandro Valeiko, principal nome ligado à morte do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, que ocorreu na noite do dia 29 de setembro após uma festa na casa do enteado do prefeito de Manaus, Arthur Neto. O corpo da vítima foi encontrado no dia seguinte no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus.

Um pedido de Habeas Corpus ingressado anteriormente no STJ foi indeferido liminarmente. Foram outros advogados que atuaram no pedido.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Receba a seleção das melhores notícias

Você também pode gostar:

error: Este conteúdo é protegido!

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram