Arthur vira as costas para Governador após Polícia Civil indiciar filhos de Betinha Valeiko


Manaus-AM | Na última quarta-feira (27), Arthur Neto (PSDB) protagonizou uma cena vexatória durante a abertura da 1a. Feira de Sustentabilidade do Pólo Industrial de Manaus (FESPIM). Para evitar cumprimentar o Governador do Amazonas, Wilson Lima, o prefeito de Manaus quebrou todos os protocolos e se levantou da tribuna de honra, aonde estava sentado, e se dirigiu para o fundo do palco.

Betinha Valeiko, primeira-dama de Manaus, que acompanhava o marido na solenidade, apesar de se manter sentada no local de destaque, ignorou o cumprimento do Governador, que passou apertando a mão de todos que estavam na primeira fileira do dispositivo montado no palco do evento.

Anúncios

VEJA O VÍDEO:

Nas imagens é possível observar que o prefeito já demonstrava uma certa inquietação ao perceber que o discurso do governador caminhava para o final. Sem esperar a conclusão, Arthur então levanta rapidamente e caminha por entre as cadeiras em direção à fileira de trás. Wilson passa cumprimentando as autoridades, como manda o protocolo.

Arthur se levanta ao perceber que Wilson caminhava para a conclusão

A atitude aconteceu no dia seguinte à Polícia Civil, que pertence à estrutura do Governo do Amazonas, indiciar dois enteados de Arthur, Alejandro e Paola Valeiko, o primeiro pelo crime de Homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues e a segunda por fraude processual, ao confessar, em depoimento à polícia, que alterou a cena do crime, limpando o sangue do local.

A postura de Arthur também foi avaliada por políticos locais. Na noite deste domingo (01), o presidente do PDT Amazonas, o ex-deputado Federal Hissa Abraão, classificou o episódio como deselegante e grosseiro. Em sua postagem nas Redes Sociais ele lembrou que também foi alvo do que ele classifica como “falta de polidez” do prefeito de Manaus. Em um dos trechos do texto ele lembra “Fui demitido de uma secretaria em uma entrevista de Rádio”.

Hissa lembrou ainda que Arthur é diplomata de formação e que o chefe do executivo municipal envergonhou os amazonenses ao destratar o governador na presença do presidente Bolsonaro, que participava da solenidade.

CONFIRA A PUBLICAÇÃO:

A investigação do Caso Flávio durou quase 2 meses e o governador adotou uma postura isenta, sem interferir no trabalho da polícia, e isso teria incomodado Arthur e Betinha, que esperavam uma atuação mais política do governo no caso, no sentido de garantir a preservação do nome do casal.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Receba a seleção das melhores notícias

Você também pode gostar:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram