Empresários amazonenses estudam exportar pirarucu para a Europa e Ásia

405C9BDA-0595-494E-87DD-0F387501A75A
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Amazonas – A exportação do pirarucu para Europa e Ásia foi tema de reunião entre empresários amazonenses e representantes de órgãos vinculados ao Ministério da Agricultura e Federação dos Manejadores de Pirarucu do Amazonas (Femapam), na Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), nesta quarta-feira (26).

Publicidade

O pirarucu é um dos peixes de água doce mais apreciados do mundo e, nos últimos anos, expandiu o leque de consumidores no Brasil e no exterior, aumentando seu grande potencial econômico. Por isso, as entidades pretendem fortalecer os elos da cadeia produtiva e impulsionar a economia regional e nacional a partir do pescado.

A ação encampada pela Conab representa a II Rodada de Negócios da Regional do Amazonas contemplando o público alvo da Agricultura Familiar”. Durante a reunião, foram discutidos aspectos de viabilidade, legislação, manejo e economia sustentável, segundo o superintendente regional da Conab, Serafim Taveira.  Também foram destacadas  as rotinas e processos das entidades que trabalham a pesca no Amazonas. 

O empresário Sung Un Song afirmou que existe uma demanda externa na Europa e Ásia para ser atendida. “Queremos criar e estimular novas matrizes econômicas e essa é uma grande oportunidade. Para isso, precisamos garantir o atendimento dessa demanda com quantidade, regularidade e qualidade do produto”, disse.

O empresário Leocádio Lopes destacou que é importante incentivar o trabalho que já é feito nas comunidades do Amazonas. “Esse trabalho de pesca e aquicultura já é realizado na nossa região, e precisa de incentivo e estímulo não apenas pela economia, mas para mostrar que produzimos e fazemos coisas boas no Brasil”, comentou.

O superintendente regional da Conab afirmou que a reunião serviu para aproximar os empresários das entidades que trabalham com a pesca na região. “Nosso papel é aproximar esses entes, fazer com que eles dialoguem, conheçam o papel um do outro, e desse diálogo saiam bons frutos para a economia regional e nacional”, afirmou Serafim Taveira.

Uma próxima reunião será realizada no dia 24 de julho em Tefé, para  avançar nas discussões a respeito das possibilidades de exportações.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias