Obras na Constantino Nery preocupam motoristas de ônibus por possíveis acidentes

Foto: Pablo Medeiros
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Motoristas de ônibus articulados pediram ajuda ao site Imediato para mostrar a realidade dos riscos de acidente que estão correndo ao fazerem o desvio na avenida Constantino Nery por conta da obra do novo sistema viário lançado pela Prefeitura de Manaus.

Publicidade

O Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito – Manaustrans, acompanha o fluxo na avenida tentando viabilizar o trânsito nesta área.

Desde o dia 8 de abril, em que o prefeito Arthur Virgílio Neto fez o orçamento da obra do novo sistema viário da avenida Constantino Nery interligando os bairros nossa Senhora das Graças zona centro-sul e o bairro São Geraldo na zona Oeste, o trânsito ficou complicado para muitos motoristas, principalmente para os de transporte urbano onde não podem mudar seus trajetos.

Segundo o prefeito, no dia do lançamento da obra, ele explicou que tudo é em celebração aos 350 anos de Manaus, comemorado no dia 24 de outubro, alegando que o término do projeto estaria previsto em 15 meses, porém, querendo ele concluír em tempo recorde de 10 meses.

“Este projeto já estava previsto há 40 anos, e finalmente irei dar dar início e em meu mandato quero que seja concluído em tempo recorde de 10 meses, para que assim a cidade de Manaus tenha mais liberdade no trânsito, tem mais um sistema viário lembrando que serão dois complexos viários o da avenida Constantino Nery e o outro no conjunto Manoa na Cidade Nova”, finalizou.

Um dos motoristas ressaltou que a dificuldade de desvio no local , principalmente para os ônibus articulados está perigoso. “Eu tenho que fazer 3 rotas e quando chega neste trecho fico tenso. Como vocês podem ver, os carros menores não param, e o ponto de ônibus é menos de cem metros de onde temos que sair e fazer a manobra, se acontecer algum acidente, o dono da empresa não vai se responsabilizar, quem terá que pagar os danos será o próprio motorista, e se alguém se machucar? Quem se responsabiliza?” desabafou RSV , 39.

Fiscais da Manaustrans que estão no local, alegam que somente ocorrerá acidente, caso algum motorista (carro particular ou de ônibus) for desatento, a linha de divisão para a manobra sinalizada por cones era de 10 metros, aumentaram para 20 metros, na certeza de garantir a segurança e o espaçamento para a manobra ser feita de forma tranquila.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias