Bombeiro salva mulher em trabalho de parto em rua do bairro Parque 10

Imagem: Reprodução da Internet
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Cliciane Souza dos Santos, de 24 anos, que é surda, foi salva em um trabalho de parto na última terça-feira (16), pelo cabo do Corpo de Bombeiro Militar Fabrício Ramos Rosas, na rua Hokkaido, bairro Parque Dez de Novembro, zona Centro-Sul de Manaus.

Publicidade

Cliciane Souza dos Santos, 24, é surda e de acordo com sua irmã Lucianne Souza dos Santos, 30, o bombeiro militar chegou a tempo de ajudar no parto. “Cheguei em casa do trabalho e minha irmã já sentia muitas dores. Preparamos tudo e meu cunhado, que também é surdo, pediu o Uber. Tudo estava previsto para irmos à maternidade da Alvorada, mas quando passamos pelo Parque Dez, o carro ficou sem combustível. Liguei para o Samu e não enviaram ambulância. Comecei a pedir por ajuda na rua, mas os motoristas passavam com receio”, relata Lucianne.

Ainda de acordo com a irmã da parturiente, o bebê já estava saindo. “Voltei para ver como minha irmã estava e o bebê já estava com a cabeça e um pouco do ombro para fora, quando o bombeiro chegou. Ele foi um verdadeiro herói! Nos ajudou a manter a calma e ajudou a minha irmã, tudo ali dentro do carro. Sou grata porque ele ficou conosco durante todo o tempo”, disse Lucianne.

O militar conta que estava voltando do serviço e realizou o procedimento de acordo com o que era possível no momento. “Quando cheguei, o bebê já estava com parte do corpo fora da mãe. Ajudei no parto e isolei o cordão umbilical. Dentro do que eu dispunha, fiz o procedimento previsto. No momento, passava uma viatura da Polícia Militar da 23ª Cicom, que prestou todo o apoio necessário na ocorrência e escoltou o carro até chegarmos ao Instituto da Mulher”, conta o bombeiro militar.

O cabo PM Rafael Buzar Duailibe e o soldado Rosinaldo Paz passavam em uma viatura no momento da ocorrência. “Estávamos realizando o patrulhamento de rotina e estranhamos a movimentação. Paramos a viatura, auxiliamos o bombeiro, colocamos combustível no veículo em que a senhora estava, porque não havia condições de tirá-la de lá e escoltamos o bombeiro para que chegasse o mais rápido possível em uma unidade hospitalar”, completou o cabo Duailibe.  

Segundo Lucianne, a mãe e o bebê passam bem. Mas por precaução, estão passando por exames e ainda não receberam alta do hospital.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias