Mulher acusa policiais de agressão e injúria racial contra adolescente

Foto: Reprodução
PATROCINADO
Manaus – AM| Neste sábado dia 21 de Maio, a Empresa Bazar da Rayana Eventos que vem crescendo...

PAÍS | Uma mulher esteve na Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados de Alagoas (OAB/AL) nesta quinta-feira (12), para registrar denúncia de injúria racial e agressões sofridas por seu filho de 17 anos por agentes do Programa Ronda no Bairro. O caso aconteceu na Rua Barão de Alagoas, no Centro de Maceió.

Segundo a denúncia da mulher, por volta das 10h50 de hoje, o adolescente estava em uma bicicleta a caminho de uma entrega quando os agentes do Programa Ronda no Bairro solicitaram que ele parasse. Como a bicicleta está com um problema nos freios, o menor tentou parar com os pés, mas não conseguiu de imediato.

Neste momento, agentes do Programa Ronda no Bairro motorizados derrubaram o garoto da bicicleta com chutes nas costas. O adolescente também foi arrastado pela camisa até a porta de um estabelecimento comercial para ser revistado. Por conta das agressões, ele apresenta escoriações pelo corpo.

A mãe do adolescente conta ainda que no momento da abordagem os agentes teriam chamado o menor de ‘negrinho’. Eles também teriam feito pressão psicológica para que o adolescente confessasse se usava ou não entorpecentes.

Consta no Termo de Declarações da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos que após as agressões, os agentes ainda teria perguntado se o menor precisaria de ajuda médica.  ‘seu negro, você quer que eu chame uma ambulância para você não cair mais’”, diz um trecho do documento.

Além de denunciar o caso na Comissão de Defesa dos Direitos Humanos da OAB/AL, a mãe do menor esteve Delegacia Especial dos Crimes Contra a Criança e o Adolescente para a confecção de um boletim de ocorrências.

Após o recebimento da denúncia, a Comissão dos Direitos Humanos encaminhou ofícios ao Ministério Público, a Polícia Civil, a Secretaria de Segurança Pública. A intenção é solicitar que o delegado-geral Carlos Alberto Reis designe delegado especial para investigar o caso, o MPE exerça o controle externo da atividade policial e a SSP promova processo disciplinar uma vez que o Programa Ronda no Bairro é de responsábilidade do órgão.

Por meio de nota, o Programa Ronda no Bairro diz repudiar qualquer ato de agressividade de seus colaborares. Informou ainda que um processo administrativo foi aberto para apurar os fatos.

Confira nota na íntegra: 

O Ronda no Bairro é um programa de policiamento de proximidade que atua sobretudo de forma pacífica, humanizada e acolhedora, não aceitando qualquer tipo de atuação diferente dos preceitos básicos instituídos pelo programa.

As informações recebidas estão sendo averiguadas por meio da Superintendência do PRB. De antemão, destacamos que o Ronda no Bairro repudia todo e qualquer ato de agressividade de seus colaboradores ou qualquer outro indivíduo e atitudes como esta, se tiverem ocorrido, não serão toleradas.

O Programa foi implantado em 2018 e desde então zela pela segurança dos cidadãos por meio da filosofia de proximidade, reconhecida e valorizada pela população. A preocupação com o bem estar social e com a prevenção à violência é base do PRB, sendo inclusive uma das poucas instituições de Segurança Pública a contar com uma equipe de assistentes sociais e psicólogos que, diariamente, fazem o mapeamento de pessoas em situação de vulnerabilidade para ajudá-las a escapar das dificuldades na qual se encontram.

O PRB destaca que um processo administrativo está sendo aberto para averiguar a conduta dos agentes de proximidade da região, assim como os protocolos éticos serão reforçados pelos comandantes de área.

Veja vídeo:

Foto: Reprodução

Por Alagoas 24h*

SEJA UM MEMBRO APOIADOR DO IMEDIATO

PATROCINADO
Deputada Joana Darc: Caros leitores, este mês, destacamos um movimento cujo propósito é chamar a atenção da sociedade...

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

Auxílio Brasil: benefício é concedido para gestantes

PAÍS | O Ministério da Cidadania publicou hoje (7) no Diário Oficial da União (DOU) uma instrução normativa com os procedimentos para identificar as gestantes elegíveis ao Benefício Composição Gestante (BCG), integrante do pacote do Auxílio Brasil. O BCG tem por objetivo aumentar a

Leia mais »

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

CONFIRA AS MAIS LIDAS

BABADO FORTE