Dados da Fiocruz e da Opas indicam redução de casos de Covid-19 no Amazonas

Profissional de saúde realiza teste para o novo coronavírus em Brasília
21/04/2020
REUTERS/Ueslei Marcelino
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Apesar da queda, instituições mantêm recomendações para medidas de prevenção

AMAZONAS | Relatório da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), divulgado nesta terça-feira (11/05), e o Boletim InfoGripe, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), indicam redução de casos de Covid-19 no Amazonas. Segundo levantamento da Opas, a média de casos da doença no estado caiu 11% na comparação entre o período de 3 a 9 de maio de 2021 e os sete dias anteriores (26 de abril a 2 de maio).

Publicidade

O boletim da Fiocruz, com dados até o dia 26 de abril do Sivep-Gripe, do Ministério da Saúde, avalia a Semana Epidemiológica (SE) 16, compreendendo o período de 18 a 24 de abril. Segundo o boletim, o Amazonas iniciou processo de queda de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), incluindo Covid-19. O levantamento aponta, ainda, que nenhum estado do país apresenta sinal de crescimento na tendência de longo prazo até a SE 16.

Segundo a Fiocruz, nenhuma das 27 capitais do país apresenta sinal de crescimento de SRAG na tendência de longo prazo até a semana 16. Em relação a Manaus, o boletim mostra que a capital manteve sinal de estabilização no número de casos observado no boletim anterior da fundação.

Dados da Opas – Para consolidar os dados do relatório, a Opas consultou bancos de dados de estados e do Ministério da Saúde, como o E-SUS VE Notifica, SIVE Gripe, Painel Covid e Sivep Gripe Amazonas. Com base nesses dados, a média de casos de Covid-19 no estado caiu 11%, entre o período de 3 a 9 de maio de 2021 e os sete dias anteriores (26 de abril a 2 de maio). Já a média de óbitos caiu 33% e de internações reduziu 4%, em todo o estado, no mesmo período.

Taxa de incidência em queda – Conforme dados consolidados pela Opas, o Amazonas registrou, nos últimos sete dias, a segunda menor taxa de incidência de Covid-19 por 100 mil habitantes, ficando com taxa de 86, atrás apenas do Maranhão, com 80.

No Brasil, a taxa de incidência ficou em 205 nos últimos sete dias, e o estado que registra a maior taxa é o Ceará, com 428 casos notificados por 100 mil habitantes. A região Sul é a que apresenta a maior taxa de incidência.

Os números mostram também uma trajetória de queda. Nos últimos 30 dias a taxa de incidência no Amazonas era de 437 por 100 mil habitantes. No país, chegou a 1.021 casos notificados por 100 mil habitantes nesse período.

Prevenção – Embora os dados apresentem tendência de redução de casos e internações, o Governo do Amazonas mantém o alerta para manutenção dos cuidados de prevenção, como o respeito ao distanciamento social, uso de máscara e higienização das mãos. O mesmo alerta é feito pela Fiocruz e pela Opas, tendo em vista que a pandemia de Covid-19 ainda não está controlada e a vacinação ainda não atingiu patamares satisfatórios de imunização.

O Comitê Estadual de Enfrentamento da Covid-19 permanece monitorando os indicadores, com base nos quais tem adotado as medidas relacionadas à flexibilização de atividades econômicas.

Monitoramento – Embora os dados mostrem uma queda no número de casos de Covid-19 no Amazonas, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) e a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM) intensificaram o monitoramento e rastreamento de casos da doença, como estratégia de prevenção.

O plano de monitoramento, que já está em execução em Manaus e mais três municípios (Manicoré, Iranduba e Itacoatiara), consiste na realização de testes do tipo RT-PCR e antígeno para detectar a doença e, posteriormente, iniciar o tratamento e o rastreamento e monitoramento de contatos das pessoas que positivarem para Covid-19 na rede de saúde local. O objetivo é quebrar a cadeia de transmissão do novo coronavírus.

De acordo com dados preliminares da SES-AM, os resultados dos exames de RT-PCR, realizados nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs) do Estado, apresentam positividade de 5%. O rastreamento e monitoramento de contatos, segundo a FVS-AM, vem sendo feito em parceria com as prefeituras municipais.

Arquivo OPAS:

Com informações da assessoria.

UM MEMBRO APOIADOR DO IMEDIATO

Clique AQUI e saiba as vantagens em ser MEMBRO!

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias