Rodoviários fazem manifestação em frente a Sede do Governo, após morte de motorista

Imagem: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Na tarde desta sexta – feira (15), por volta das 15h,  o Sindicato dos Rodoviários, convocou a classe, para mobilização em frente a Sede do Governo, com objetivo de chamar a atenção das autoridades, sobre a falta de segurança nos transportes públicos. Após a morte de Antônio Bento da Silva, 48, motorista da empresa Expresso Coroado da linha 515, que morreu pela manhã ao entrar em luta corporal com um assaltante, quando caiu se desequilibrando, os colegas de farda se revoltaram.

Publicidade

Cerca de 27 ônibus das empresas Rondônia/Eucatur, Via Verde, São Pedro e a Expresso Coroado, todos pertencentes as linhas que fazem trajeto na Avenida Brasil, foram estacionados por mais de uma hora em frente a sede. Alguns veículos levavam passageiros, que foram informados da parada.

A Vendedora Célia Virgínia, 43, estava no ônibus da linha 126 da empresa Vegas, e alegou que ao ser comunicada da paralisação, concordou de imediato com a causa. “São pais e mães de família que seguem em risco quando vão trabalhar, eu concordo que eles se manifestem, até porque são responsáveis por nossas vidas como passageiros, apoio e chamo a população para ficar ao lado deles, o Governo tem que tomar providências” finalizou.

Givancir de Oliveira, presidente do sindicato dos rodoviários, foi até ao gabinete governamental, e foi atendido pelo chefe da casa civil, Coronel Leandro Souza Benevides. Porém, a intenção era conversar com o atual governador, Wilson Lima, que no momento não estava presente no local, devido a viagens ao interior do Estado.

Na conversa entre o sindicato e o chefe da casa civil, foi marcada uma reunião para este sábado (16), na sede da Secretaria de Segurança Pública – SSP, por volta das 09:00h, onde irão montar uma estratégia para uma operação policial com objetivo de capturar os assaltantes de transportes públicos.

Segundo Givancir, o aplicativo “Aviso Polícia”, implantado pela SSP não é pertinente, “Ninguém tem coragem de andar com celular mais dentro do transporte público, a pessoa já não tem mais a quem recorrer, e o próprio motorista ou o cobrador não terá como reagir, procurando este aplicativo no celular, esta não é e nunca foi a solução”, afirmou.

Reportagem: Édila Chaves

Imagens: Jimmy Geber

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias