Governo do AM estuda fontes de financiamento para implantação de parque tecnológico

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Foto: Tácio Melo /SECOM


Manaus – AM | Como parte do processo de construção do projeto para implantação de um parque tecnológico em Manaus, o vice-governador e secretário-chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, conheceu, nesta segunda-feira (02/12), as instalações, laboratórios e projetos desenvolvidos por duas das mais importantes instituições com atuação no Polo Industrial da Zona Franca de Manaus (ZFM): a Fundação Paulo Feitoza Tech e o Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT).

Publicidade

E mais que isso, como destaca Carlos Almeida, foi possível analisar as fontes disponíveis de financiamento para o desenvolvimento de tecnologias, em especialmente os recursos de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), gerados na ZFM.

“Neste ano, por exemplo, as empresas beneficiadas pela Lei de Informática devem gerar pelo menos R$ 600 milhões em P&D, valor destinado ao desenvolvimento de produtos inovadores. Portanto, temos fonte de recursos, a decisão política do governador Wilson Lima, além de talentos e instituições que podem impulsionar o Amazonas também no campo da inovação”’, destaca o vice-governador.

02 12 2019 VICE GOVERNADO EM VISITA A F. PAULO FEITOSA FOTOS TACIO MELO 3 1

Carlos Almeida esteve acompanhado do secretário de Estado de Planejamento, Jório Veiga, e do senador Eduardo Braga. Na reunião, Braga apontou linhas de pesquisa para o incremento da economia estadual. O senador sugeriu ainda a integração dos institutos de pesquisa com a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), por intermédio de startups, empresas emergentes de base tecnológica que têm como missão aprimorar ou desenvolver um modelo de negócio.

Berço na Zona Franca – O diretor executivo do INDT, Geraldo Feitoza, apresentou áreas de atuação, parceiros, investimentos, novos projetos e tendências de mercado acompanhadas pelo Instituto. “Atuamos em áreas como educação, telecomunicações, economia digital, com um histórico de grandes parcerias”. Segundo o executivo, o INDT deve movimentar perto de R$ 40 milhões em projetos, financiados com recursos de P&D.

02 12 2019 VICE GOVERNADO EM VISITA A F. PAULO FEITOSA FOTOS TACIO MELO 13 1

Na Fundação Paulo Feitoza, o financiamento de projetos em 2019 deve chegar a R$ 60 milhões, em áreas como saúde, educação, automação industrial e bioeconomia. “Para 2020, temos uma novidade: planejamos lançar uma escola técnica. Serão 960 vagas em 2020 e 1.440 em 2021, iniciando com os cursos de informática e automação”, adianta o diretor executivo da Fundação, Luís Braga.

Os executivos apostam na parceria com o Estado, no desenvolvimento de soluções para o aprimoramento da gestão pública, em especial na oferta dos serviços à população. Um dos maiores projetos da atual gestão, lembra o vice-governador, é o Governo Digital, que já iniciou com a informatização do Diário Oficial, passando pela maior oferta de serviços eletrônicos pelo Detran e melhorias na gestão da Susam (Secretaria de Saúde).

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias

BABADO FORTE