Tia que explorava sexualmente sobrinha de 13 anos é condenada a 146 anos de prisão

Foto: PC-AM
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus-AM| O Juízo da 2.ª Vara Especializada em Crimes contra Dignidade Sexual de Crianças e Adolescentes, da Comarca de Manaus, condenou quatro réus, sendo dois homens e duas mulheres, que eram acusados de favorecimento à prostituição, estupro, associação criminosa, corrupção de menores e estupro de vulnerável.

Publicidade

A petição da Polícia Civil do Estado do Amazonas chegou ao Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) em agosto do ano passado, depois da prisão em flagrante de um empresário que estava em um motel de Manaus com uma adolescente de 13 anos.

A menina era agenciada pela tia, que recebeu a maior condenação. Ela recebeu uma pena de 146 anos, 4 meses e 26 dias, sendo considerada culpada pelos crimes de favorecimento à prostituição, estupro, associação criminosa e corrupção de menores. A pena foi agravada porque a menor era sobrinha da Ré.

Outra integrante do grupo criminoso, que também atuava como agenciadora das adolescentes, foi condenada a 64 anos e 10 meses por favorecimento à prostituição, estupro de vulnerável, associação criminosa e corrupção de menores e ao estupro

O empresário preso que originou a ação na Justiça Estadual foi condenado a 61 anos e 8 meses pelos crimes de favorecimento à prostituição e a estupro de vulnerável.

A pena menor ficou para outro réu que foi condenado a 39 anos e 6 meses pelos crimes de favorecimento à prostituição e estupro de vulnerável. Todos os condenados terão de cumprir a pena em regime fechado e deverão recorrer da sentença presos.

Leia mais

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias