Secretários Estaduais de Saúde assinam carta contra posicionamento de Bolsonaro

15845630825e72838af26ea_1584563082_3x2_md
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Brasil I Na noite desta terça-feira (24), o presidente Bolsonaro falou em rede nacional sobre a pandemia de coronavírus (Covid-19) que vem crescendo a cada dia no Brasil. O líder do executivo, fez um dircurso onde diz que a doença que vem assolando milhares de pessoas no mundo não passa de uma “gripezinha”.

Publicidade

Em uma parte de sua fala, ele se opõe as medidas estabelecidas pelo Ministério sa Saúde (MS), como forma de prevenção na propagação do vírus: “nossa vida tem que continuar e os empregos precisam ser mantidos. O sustento das famílias deve ser preservado. Devemos, sim, voltar á normalidade”, afirmou.

Na mesma noite do pronunciamento, o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), emitiu uma carta de repúdio a fala do presidente em relação a saúde dos brasileiros diante da situação que o coronavírus está causando.

Na carta diz que as recomendações que o Conass e o Ministério da Saúde são de importância não apenas social, para evitar o contágio, mas também para fins científicos.

“Todas as decisões e recomendações do Conass e do Ministério da Saúde têm se baseado em evidências científicas, na realidade nacional e internacional e buscado inspiração nas melhores práticas e exemplos de condutas exitosas ao redor do mundo”, diz a carta.

“Ao invés de desfazer todo o esforço e sacrifício que temos feito junto com o povo brasileiro, negando todas as recomendações tecnicamente embasadas e defendidas, inclusive, pelo seu Ministério da Saúde, deveríamos ver o Presidente da República liderando a luta, contribuindo para este esforço e conduzindo a nação para onde se espera de seu principal governante: um lugar seguro para se viver, com saúde e bem estar.”, ressalta a carta.

“Infelizmente o que vimos em seu pronunciamento foi uma tentativa de desmobilizar a sociedade brasileira, as autoridades sanitárias de todo o país.”, afirma a carta

“Sua fala dificulta o trabalho de todos, inclusive de seu ministro e técnicos.”

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias