Adolescentes combinam massacre em escola no Distrito Federal

Imagem - Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Distrito Federal – Após uma troca de mensagens, entre alunos do Centro Educacional Gisno, escola Pública em Brasília, no Distrito Federal (DF), diversos professores, jovens e crianças, viveram momentos aterrorizantes na manhã desta segunda – feira (18), o que resultou no cancelamento das atividades escolares durante o resto do dia.
Tudo começou durante uma troca de mensagens na noite de ontem (17), que se estendeu até a madrugada de hoje (18). Nelas, três estudantes de 17 anos, e um de 18, combinam fazer uma competição para ver quem “QUEM MATA MAIS” na escola. Um dos meninos, afirma que deseja fazer parte da “LINHA DE FRENTE DO MASSACRE”, e outro explica detalhes do crime.

Publicidade

”Pelas janelas de trás (áreas de escoteiros), lançar bombas de gás lacrimogênio nas três primeiras salas, e efetuar disparos com revólver nas últimas a fim de colocar todos para correr. Depois dar a volta… eliminando todos que for possível, que estarão trancados por conta do portão”, recomenda um dos adolescentes.
Durante outras mensagens vazadas por um grupo maior de alunos da escola, os adolescentes afirmam ter colocado “armas, bombas e munição em pontos estratégicos da instituição”.
Um dos adolescentes foi identificado, e encaminhado a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA-1), onde prestou depoimento.
A casa do menor foi vistoriada, e nada encontrado. A polícia também teve acesso ao celular do rapaz, que confirmou a troca de mensagens ameaçadoras entre o grupo.
A Polícia Civil informou que o caso será submetido à apreciação judicial e os menores poderão responder por ameaça e incitação ao crime.

Fonte: Agência Brasil

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias