Apreensão de madeira flutuando em rio pela Polícia Ambiental é a maior nos últimos 4 anos no Amazonas

DIVULGAÇÃO PMAM (1) (2) (1)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Policiais militares do Comando de Policiamento Ambiental (CPAmb) e Comando de Policiamento com Cães (CIPCães), na manhã dessa quinta-feira (16/07), apreenderam 900 toras de madeira, uma embarcação de grande porte e uma pá carregadeira, no rio Manacapuru, próximo à Comunidade Santo Antônio, como resultado da operação “Horus”, em parceria com o Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia).

Publicidade

Apreensão

Além da apreensão, a maior dos últimos quatro anos em ação contra crimes ambientais, três suspeitos foram detidos e uma serraria que atuava em situação irregular foi interditada.

O comandante-geral da PMAM, coronel Ayrton Norte, considerou a operação significativa para o estado do Amazonas. O resultado do trabalho é esse, nos quatro últimos anos é a maior apreensão que estamos realizando, e uma das maiores das forças policiais de crime ambiental do Brasil”, frisou o comandante, salientando a parceria com o Programa Vigia, de combate ao crime organizado e vigilância e repressão contra crimes fronteiriços. “O objetivo é combater o narcotráfico, o tráfico de armas, e principalmente o crime ambiental, que é danoso ao nosso estado e ao mundo”.

Durante patrulhamento fluvial, moradores da comunidade Santo Antônio denunciaram crimes ambientais de extração ilegal de madeira nas proximidades do rio Manacapuru. O material supostamente seria rebocado para outra região. Na diligência, foi apreendido o equivalente a 800 toras de madeira, com comprimentos entre 10 e 17 metros, de espécies como sumaúma, cedro, mogno, itaubarana e assacu, oriundas da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Piranha e da RDS do Piagaçu Purus.

Também foram encontrados mais 50 metros cúbicos de madeira serrada dos tipos cedro e mogno, no interior de uma embarcação. O responsável pelo material não possuía documento de origem florestal (DOF), obrigatório para o controle e transporte de produtos e subprodutos de origem nativa. Órgãos de proteção ambiental municipal e estadual foram acionados para as devidas providências.

A operação contou com mais de 20 homens dos comandos de policiamento especializados da Polícia Militar do Amazonas, que percorreram mais de 400 quilômetros foram percorridos nas proximidades do local. Os suspeitos detidos foram conduzidos à  Delegacia Interativa de Manacapuru, para os procedimentos cabíveis.

Veja também:

Polícia faz mega operação para desarticular o tráfico de drogas na comunidade Nossa Senhora de Fátima

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias