Sob protesto da família de Flávio por Justiça, primeira-dama de Manaus presta depoimento na Polícia Civil

Imagem: Reinaldo Maquiné
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

MANAUS-AM| Após faltar por duas vezes para prestar esclarecimentos à Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), a primeira-dama de Manaus, Elizabeth Valeiko, esteve por quase duas horas e meia na Delegacia de Homicídios e Sequestros (Dehs), na zona Leste de Manaus, onde finalmente prestou depoimento por ter estado na cena do crime de homicídio de Flávio Rodrigues, 42 anos, nesta segunda-feira (21/10).

Publicidade

O conteúdo do depoimento ainda não foi divulgado pela polícia. Ainda durante o depoimento familiares e amigos da vítima chegaram ao local e se posicionaram na parte externa da delegacia, onde fica o estacionamento. Eles se posicionaram com faixas e cartazes, contendo frases pedindo Justiça. Apesar de ter deixado o local sob escolta policial, a mulher do prefeito Arthur Neto ouviu os gritos dos familiares por Justiça e que a investigação aponte a verdade dos fatos e responsabilize os verdadeiros culpados. Elizabeth chegou à Delegacia de Homicídios acompanhada de advogados, por volta de 17h40 desta segunda.

De acordo com informações obtidas pela reportagem, Elizabeth Valeiko teve acesso pela lateral da delegacia. A defesa cuidou dessa estratégia para a chegada dela na unidade policial. Dois carros chegaram com advogados, seguranças, e a primeira dama. Imagens produzidas pela reportagem mostram momento exato em que a primeira-dama passa pelas perguntas do titular da especialidade, Paulo Martins, e também da delegada-adjunta, Marília Campelo.

O filho Alejandro Valeiko é o principal nome ligado à morte do engenheiro Flávio. Na ocasião do crime, o suspeito teve chamado atendido pela mãe.

LEIA MAIS

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias