Como está a saúde mental dos agentes de Segurança no Brasil?

Saúde
PATROCINADO
A ENEVA, em um esforço contínuo para fomentar a educação e o crescimento econômico no Amazonas, lidera uma...

Brasil | Nas últimas semanas dois casos envolvendo as forças de segurança pública chocaram o Brasil, em São Paulo um policial entrou no batalhão da PM e matou dois colegas de farda e no Ceará um policial civil matou quatro companheiros de farda.

Nestes dois casos é possível assimilar uma coisa por causa que eles falam em exaustão e reclamam de como eram tratados dentro da corporação, relacionando isso as mortes. Perseguição e humilhação, foram os gatilhos que fizeram dois policiais de estados distintos, terem a mesma ideia de como acabar os seus problemas, matando quem importunava eles.

Os casos

Em São Paulo

Sargento Claudio Gouveia mata dois colegas de farda em SP. Foto: Reprodução internet

Em São Paulo, o PM Claudio Gouveia, entrou na sede de uma das companhias do Batalhão da PM de SP e efetuou diversos disparos de arma de fogo contra dois colegas de farda, o sargento Roberto da Silva e o capitão Josias Justi, que morreram no local.

Em um vídeo publicado pelo Fantástico, o policial fala que sofria perseguições dentro da corporação e isso o motivou a cometer os crimes.

“Eu não aguento mais. Não estou dormindo. Meu casamento acabou. Ele não devia ter destruído a minha vida. Ele destruiu a minha vida. Então, é elas por elas. Isso aí. Esse é o motivo pelo qual aconteceu”, disse Gouveia, que era famoso na internet por fazer abordagens mais tranquilas e é pais de seis filhos.

No Ceará

O PC Antônio Alves Dourado, entrou na delegacia e matou quatro policiais civis. Foto: Reprodução internet

No Ceará, o caso foi mais grave e teve mais vítimas. O policial civil, Antônio Alves Dourado, entrou na Delegacia Regional de Camocim (CE), e matou quatro colegas de profissão. Após os assassinatos, ele gravou um vídeo onde lamenta pelos familiares das vítimas, porém afirma que fez aquilo porque foi humilhado.

“Perdão a todos. (…) Fui humilhado, achincalhado, transformado em um lixo, perseguido, inventaram, criaram”, diz o homem. “Maldito Adriano, te vejo no inferno. Maldito Charles, maldito Neto. Vocês são isso, eu acredito que o diabo foi conivente com a vida de vocês”, afirmou

SEJA UM MEMBRO APOIADOR DO IMEDIATO

PATROCINADO
Candidatos para cursos técnicos em Silves devem se inscrever a partir desta sexta-feira, dia 5 de abril. São...

Últimas atualizações sobre benefícios

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE