Jovem envolvida em latrocínio de dono de joalheria é procurada pela polícia em Manaus

WhatsApp Image 2020-01-10 at 15.57.58
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus-AM | A Polícia Civil do Amazonas procura Jessica Cristina de Souza Ferreira, 20, investigada pela participação no latrocínio, que teve como vítima o proprietário de joalheria, identificado como Antônio Aberonilton Nogueira Lima, que tinha que tinha 47 anos. O crime ocorreu no dia 22 de novembro de 2019, em uma joalheria localizada no bairro Coroado, zona leste da capital. A imagem dela está sendo divulgada pela polícia.

Publicidade
WhatsApp Image 2020 01 10 at 15.57.58
Jessica Cristina de Souza Ferreira, 20, está sendo procurada pela Polícia Civil. Foto: Reprodução | PC/AM

De acordo com Antônio Rondon Júnior, no dia do crime, por volta das 11h, quatro infratores invadiram a joalheria e anunciaram o assalto. O proprietário da loja, reagiu ao assalto e foi atingido por um disparo de arma de fogo na cabeça. Na ocasião, ele foi encaminhado para o Hospital e Pronto-Socorro Doutor João Lúcio Pereira Machado, naquela mesma área da cidade, onde não resistiu e veio a óbito, no dia 30 de novembro do ano passado. Ainda no dia do fato, um funcionário da loja, de 41 anos, também foi atingido com um disparo que atingiu o rosto dele.

Conforme o titular do 11º DIP, dos quatro envolvidos, um deles, identificado como Marco Vinicius Alves de Vasconcelos, 22, foi morto durante troca de tiros com policiais militares, no dia do crime. Além de Marco Vinicius, participaram do delito Breno Tavares Pampolha, 20, preso por policiais civis na quinta-feira (09/01), e Jéssica Cristina de Souza Ferreira, 20, que está sendo procurada pela polícia. O titular do 11º DIP destacou que um dos quatro envolvidos no crime, ainda não foi identificado.

“Pedimos apoio da população para localizarmos a infratora. Destacamos que as denúncias podem ser feitas pelo número (92) 99962-2303, o disque-denúncia do DIP, ou, ainda, por meio do número 181, canal de delações da Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Asseguramos o sigilo da identidade dos informantes”, garantiu Antônio Rondon Júnior.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias