Operação prende cinco criminosos responsáveis por assassinato de mulher e morte de criança em Manaus

a0bff5c8-c205-411d-91f3-ad222e5d7837 (1)
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Cinco homens envolvidos em homicídios foram presos durante a “Operação Escudo”, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Gabriel Freitas dos Reis, 21, José Roberto Praia da Silva Filho, 31, Vinicius Ferreira dos Santos, 20, Anderson Pereira Correa, 38, e outro jovem, de 21 anos, foram presos em cumprimento a mandado de prisão preventiva. O grupo é suspeito de envolvimento nos homicídios de Walcimara da Cruz Vasconcelos, 23, e de Renan Souza da Gama, 10. Os crimes ocorreram no último dia 9 de janeiro.

Publicidade

Outros dois integrantes do grupo criminoso, Arthur Muniz Guimaraes, 23, conhecido como “T1”, e João Paulo da Silva Quintinho, 21, conhecido como “Geraldo”, também estão envolvidos nos homicídios e continuam sendo procurados pela polícia. As ordens judiciais em nome dos infratores foram expedidas no dia 22 de janeiro de 2020.

Conforme a Polícia Civil, a operação teve início na quinta-feira (23/01), com o objetivo retirar das ruas indivíduos envolvidos em crimes de homicídios e tentativas de homicídios decorrentes das disputas entre organizações criminosas rivais. Dentre os presos, quatro são envolvidos no sequestro e homicídio de Walcimara e na morte de Renan.

As investigações apontam que os suspeitos torturaram Walcimara com o objetivo de obter dela a informação de quem estaria comercializando entorpecentes no bairro Novo Aleixo. Horas depois, o bando criminoso foi ao local matar os rivais que estavam comercializando drogas, efetuaram diversos disparos e balearam duas pessoas. Um dos disparos atingiu o menino Renan.

20200110090049830e9679227d4822823a7cac706b9779
Menino foi atingido por bala perdida e morreu

Segundo o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, após o duplo homicídio a especializada iniciou as investigações em conjunto. “Identificamos alguns deles, incluindo dois foragidos da Justiça. Todos participaram desses dois bárbaros crimes e vão responder por dois homicídios e duas tentativas de homicídio. Nós pudemos observar a periculosidade desse grupo criminoso. Todos têm passagem pela polícia, então foi um excelente trabalho feito pela Delegacia de Homicídios”, disse.

Sobre os mandantes do crime, o delegado afirmou que as investigações continuam para identificá-los e prendê-los. “Os mandantes estão sendo identificados, são pessoas de dentro do sistema prisional que estão envolvidas nesses crimes. Posteriormente, nós vamos representar pela prisão preventiva deles”, afirmou Martins.

Investigações – De acordo com o delegado Charles Araújo, adjunto da DEHS, as investigações iniciaram logo que as equipes foram informadas do assassinato de Walcimara.

“Logo que a gente percebeu que ela havia sido torturada, tínhamos a informação de que alguém queria tirar alguma coisa dela. Fomos surpreendidos na tarde do dia 9 com o ataque que vitimou o Renan, então passamos a investigar os dois crimes. A partir daí, traçamos o perfil das vítimas e fomos informados que a Walcimara tinha sido ameaçada um dia antes de ser morta”, informou.

Sobre a prisão de Anderson, o delegado relatou que o homem não tem ligação direta com a morte de Walcimara e Renan, mas ele é apontado como autor do homicídio de Alexsandro de Souza Reis, o “Gordinho”, ocorrido dia 3 de janeiro na rua Estrela do Amazonas, bairro Tancredo Neves.

“As investigações apontam que Walcimara já teria participado do crime de tráfico de drogas. O Vinicius foi preso pelo crime de porte ilegal de arma de fogo dois dias após o assassinato de Walcimara. As armas serão periciadas para realizar a comparação balística”, disse.

Os indivíduos foram indiciados por dois homicídios qualificados e organização criminosa. A Polícia Civil solicita o apoio da população para denunciar a localização dos dois foragidos. Denúncias podem ser feitas pelo 181.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias