Polícia acredita que Michael recebeu ajuda da família para ficar foragido no Maranhão

WhatsApp Image 2020-06-09 at 13.41.15
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus-AM| Na manhã desta terça-feira (9/6), Michael Saboia de Souza, de 19 anos, assassino confesso do feminícido da jovem Heloísa Medeiros da Silva, que tinha 17 anos de idade, chegou à Manaus após ter sido preso em São Luís, no Maranhão, na último sexta-feira (6/9)/. Helóisa foi encontrada morta na madrugada do dia 15 de dezembro de 2019, na casa da avó do infrator.

Publicidade

O autor confesso do crime chegou de avião, por volta das 11h30, no Aeroporto Internacional de Manaus – Eduardo Gomes. O site Imediato acompanhou com exclusividade a chegada de Michael Saboia à capital.

Captura de Tela 2020 06 09 às 15.21.51

Após desembarcar no aeroporto ele foi conduzido em uma viatura da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), para o prédio da Delegacia Geral de Polícia (DG), onde foi apresentado. Centenas de pessoas, entre familiares e amigos da jovem, estavam aguardando a chegada dele. O mesmo ao avistar a mãe da vítima, Vanusa Medeiros, olhou em sua em direção e pediu perdão pelo crime que cometeu.

“Agora não tenho perdão pra ele, ele agiu cruelmente tirando a vida da minha filha, uma jovem que tinha um futuro pela frente, não tem perdão pra ele.”, relatou Vanusa Medeiros mãe de Heloísa.

Segundo o delegado Paulo Martins titular da Dehs, Michael confessou o crime, ele disse que não teve motivação para o ato. De acordo com as confissões, ele conheceu a vitima nas redes sociais e teriam marcado um encontro que aconteceu em um bar no Vieiralves na noite do dia 12 de dezembro. “Ela chegou por volta de 11 horas da noite no local, eles começaram a beber, e ela além da bebida alcoólica estava usando drogas”, relatou o delegado.

Segundo os relatos de Michael, por volta das 4h30 da manhã os dois foram para a casa da avó dele, ele com a intenção de ficar com ela, mas quando chegou na casa, localizada na rua Miranda Leão, no Centro da capital, o mesmo recebeu uma mensagem no telefone de uma outra mulher, perguntando se ele estava acompanhado, ele negou disse que não, ela viu essa mensagem e se aborreceu. O delegado relata que a jovem teria se aborrecido com a mensagem e passou a agredi-lo, e ele, para se defender, disse que lembra apenas que deu um “abraço” nela.

Depois do abraço ele não consegue lembrar de nada o que teria acontecido, disse Paulo Martins. “Ele disse que apagou e acordou já por volta de 10 horas da manhã e percebeu que ela estava morta e aí ele continuou a sua vida normal, foi trabalhar onde entregava marmita no centro e a moça já morta dentro do quarto dele, quando ele retornou por volta de 5h da tarde de sexta-feira (dia 13/12) começou a pensar o que ia fazer com corpo.”, contou o delegado.

Michael relatou que pra tentar se livrar do corpo de Heloísa, teve três ideias: a primeira foi, de arrancar as unhas postiças e em seguida cortar o cabelo, com o intuito de desfigurar a moça para depois sumir com o corpo e jogar em algum local, para que ela não pudesse ser reconhecida. A outra ideia que teve foi de, embrulhar ela não pano plástico tirar de dentro da casa e jogar lá no meio do Rio para que os peixes pudessem comer, terceira ideia seria botar lá no no terreno baldio que tem ao lado da casa dele que lá os urubus iriam comer ela e aí ninguém acharia.

Segundo o delegado, Michael tentou ocultar o cadáver da jovem para tentar se eximir da responsabilidade e responder o crime. “Ele ficou ainda com ela durante a sexta-feira inteira, dormiu no quarto com moça já morta e no sábado de manhã novamente saiu para trabalhar; foi ao supermercado, voltou e seguiu para uma festa de aniversário com amigos no sábado”.

Na noite de sábado (14/12) por volta das 19h, Michael percebeu que a polícia já estava atrás da moça, foi quando ele resolveu entrar em contato primeiro com a ex-mulher e posteriormente com o advogado que é tio dele. Segundo a autoridade policial, ele teria dito ao tio que tinha feito uma besteira. Foi quando o tio resolveu chamar a polícia, quando a polícia foi ao local, o mesmo já tinha fugido.

O corpo da jovem foi encontrado durante a madrugada do domingo 15 de dezembro e já estava em estado avançado de decomposição. Totalmente desfigurado, com as unhas postiças arrancadas, cabelos cortado o corpo da jovem estava em cima de uma cama.

Fuga:

De acordo com Paulo Martins, ele foi ardiloso. “Teve o cuidado de pegar a carteira de identidade do irmão e passou a utilizar, tirou uma foto da fotografia da carteira identidade do irmão dele, de apenas 17 anos e passou a utilizar, e aí quando ele saiu de Manaus ele foi para o interior do Estado, depois retornou para capital e posteriormente ele pegou um barco no Porto de Manaus, para Belém no Estado do Pará, e de lá seguiu para São Luís no Maranhão.”

Michael foi preso durante a manhã desta última sexta-feira (5/6), em um kitinete localizado no bairro Anjo da Guarda, onde estava foragido.

A delegada geral da Polícia Civil do Amazonas, Emília Ferraz, destacou a importância da ajuda prestada pela equipe do Departamento de Proteção a Pessoa da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), do Maranhão, que a par de todas as informações conseguiu fazer a prisão do acusado. A delegada acredita que Michael recebeu ajuda durante esses cinco meses que esteve foragido de sua mãe, do tio e ainda da ex- mulher.

Michael será conduzido nesta quarta-feira (10/6), para uma audiência de custódia onde deve ficar a disposição da Justiça para responder por feminicídio e ocultação de cadáver.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias