Rafael confessa ter matado Kimberly por causa de mensagens e tentou se livrar corpo

20200516_234841
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email


Manaus-AM| Rafael Fernandez Rodrigues, 31 anos, confessou ter matado Kimberly Karen Mota de Oliveira, de 22 anos, com quem teve um relacionamento. O servidor público deu detalhes de como agiu antes e depois da ação criminosa.

Autor confesso, ele chegou na noite deste sábado (16) na capital amazonense após se preso em Pacaraima (RR) na tarde desta sexta-feira (15). Ele chegou à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), na zona Leste da Capital, por volta das 21h20.

Segundo o delegado Paulo Martins, titular da (DEHS), Rafael confessou o crime durante o caminho até Manaus.

Publicidade

Após pegar a modelo na casa de uma amiga, os dois seguiram para o apartamento dele, localizado no Centro de Manaus.

“Ele disse que ela foi ao banheiro e deixou o celular na cabeceira da cama. Ele conseguiu saber a senha do celular, viu algumas mensagens no telefone dela com outros rapazes que o aborreceram. Ele contou que foi na cozinha e pegou uma faca, que escondeu atrás da costa dele. No momento de distração dela deu a primeira facada. Ainda segundo ele, foi muito violenta (a facada) e ela quase desfaleceu. Com mais dois golpes ele percebeu que ela já estava morta. Ele disse que tentou tirá-la do apartamento para esconder o corpo. Ele lavou ela no banheiro, ia colocar outra roupa nela, mas acabou desistindo, estava muito nervoso, então deixou ela no local e fugiu. Ela não esboçou nenhuma reação.”, contou o delegado.

O delegado afirmou, ainda, que Rafael contou que assim que ele cometeu o assassinato, ele ficou atordoado não sabia para onde fugir, inclusive disse que quando ele acabou de cometer o crime, ele ligou para pai e o avisou, contou o que havia cometido, o pai pediu pra ele se entregar, mas o mesmo não obedeceu e resolveu fugir.


As confissões de Rafael indicam que o crime não foi premeditado. Após o crime ele pegou o carro e foi em direção a Venezuela. De acordo com Paulo Martins, quando chegou ali na barreira, se perdeu seguindo na AM-010, por está atordoado, então ele retornou, entrou na BR-174, local que ele descarta o telefone da vítima, jogando fora numa uma área de mata.

Rafael já no caminho certo vai em direção a Boa Vista – capital de Roraima, com a intenção de fugir para a Venezuela. Nesse percurso ele foi identificado na barreira sanitária, mas seguiu viagem, quando chegou próximo a Caracaraí sofre um acidente, capotando o veículo, ele conseguiu escapar com vida, sofrendo apenas lesões mínimas, foi socorrido por motorista de caminhão e seguiu viagem até Boa Vista, de lá ele pegou um táxi e foi até Pacaraima. Lá, Rafael tentou atravessar a fronteira mas não conseguiu, em virtude da Fronteira está fechada por conta do coronavírus. Ele pediu refúgio para uns venezuelanos que moram bem na fronteira do Brasil com a Venezuela.

O delegado falou que o criminoso ainda foi ameaçado de morte por venezuelanos, tendo que pagar uma quantia de R$ 1.500 para não ser morto e poder regressar par Pacaraima, onde estava escondido em uma cabana em uma invasão chamada Morro do Quiabo, onde foi encontrado e preso pela polícia.


ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias