Casa de líder indígena é invadida no Pará, após fazer denuncia contra mineração


MANAUS | No último dia 20, a líder indígena Alessandra korap, 35, do povo de Munducuru, esteve em Brasília para uma comitiva junto com cerca de 50 munducurus, para denunciar o garimpo de ouro, madeireiros, ameaças de morte contra lideranças e cobrar demarcação de terras indígenas, cujos processos estão paralisados.

Dias após a denúncia, sua casa foi invadida em Santarém (PA). Os criminosos levaram documentos, tablet, celular e o cartão de memória de sua câmera fotográfica.

Anúncios

Segundo relatou Korap à Folha, a invasão ocorreu entre o final da tarde e o início da noite deste sábado (30), período que ela saiu de casa junto com o marido e os dois filhos. Na volta, encontraram a casa arrombada.

A mochila de Korab foi levada com diversos documentos e materiais impressos. A câmera fotográfica foi deixada aberta sem o cartão, a TV e o botijão de gás também foram furtados.

A Terra Indígena Munduruku, localizada no sudoeste do Pará, é uma das mais afetadas pela mineração ilegal. Rios e igarapés estão contaminados de mercúrio. O povo afetado vem denunciando há vários anos o garimpo, mas nada é feito pelas organizações.

Compartihe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Receba a seleção das melhores notícias

Você também pode gostar:

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram