Ministro debate reforma trabalhista em Manaus

IMG_6007
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus-Am | Cerca de 600 pessoas, entre advogados, magistrados e acadêmicos de Direito e entidades privadas, participaram na manhã desta sexta-feira,15, da abertura do Ano Letivo 2019 com a palestra “Panorama Atual da Reforma Trabalhista”, proferida pelo Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Alexandre Agra Belmonte.

Publicidade

A palestra debateu os novos paradigmas das relações de trabalho após a entrada em vigor da reforma trabalhista em novembro de 2017

O evento foi organizado pela Escola Judicial do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região – Amazonas e Roraima (Ejud11).

De acordo com o Diretor da Escola, desembargador Audaliphal Hildebrando da Silva, a escolha do tema veio da necessidade que todos os operadores do direito, e diversas entidades aprofundando o estudo sobre a reforma trabalhista.

Ele afirma que este este debate é importante para que patrões, empregados e atuantes do direito possam tirar suas dúvidas e obedeçam às leis trabalhistas.

“A modernização, aqui no Brasil, foi discutida com as próprias centrais sindicais. Houve um consenso no que diz respeito a trazer segurança jurídica de acordos coletivos de trabalho. A modernização trouxe os seus resultados, que é o principal: proteção de direitos, segurança jurídica e geração de emprego.”

Segundo o Ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Alexandre Agra Belmonte, a modernização da legislação trabalhista brasileira trouxe modificações importantes para a recuperação da economia do nosso país.

“Esperamos que essa legislação possa se adequar às transformações sociais, fazendo com que empregadores e trabalhadores se tornem parceiros no desenvolvimento do país”, disse.

Durante o evento ocorreu o lançamento do Projeto Bartimeu, “Empregue uma Pessoa com Deficiência”, de iniciativa da Escola Judicial em parceria com o Ministério Público do Trabalho da 11ª Região e Comissão Permanente de Acessibilidade e Inclusão do TRT da 11ª Região.

De acordo com o Presidente da Associação dos Deficientes Físicos do Amazonas, com Isack Banayon, o projeto de inclusão social é de grande importância para os deficientes, ele revela que atualmente existem mais de 350 pessoas com deficiência que estão com cursos superiores fora do mercado de trabalho.

“São profissionais de todos os níveis, poucos são os que conseguem atuação no mercado de trabalho através de cotas que correspondem de de 2 a 5%, esperemos que com a nova reforma trabalhista possamos ter mais abertura e oportunidades”

Texto: Thiago Quara

Imagens / Fotos: Reinaldo Maquiné

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias