Bebê tem a cabeça arrancada durante parto e pais acusam equipe médica

pés de bebes
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Belém-PA | Na manhã da última sexta-feira (16), um bebê teve a cabeça arrancada no momento do parto realizado pelos profissionais de saúde da Santa Casa de Misericórdia de Belém. Segundo familiares, a maternidade teria insistindo em parto normal mesmo sabendo que havia indicação para cesária.

Publicidade

Segundo os pais da criança, Roberto Lemos e Daira Oliveira de Souza, que haviam sido encaminhados do município de Ourém, nordeste do Pará, para realizar os procedimentos para o nascimento do filho na capital do Pará, o incidente se deu depois que a equipe que realizava o procedimento forçou a passagem do bebê pelo canal vaginal.

No sábado à tarde (17), o pai do bebê registrou um boletim de ocorrência no posto da Policial que funciona dentro da própria Santa Casa. O corpo do neném segue no necrotério do hospital e deve ser sepultado nesta segunda-feira pela manhã.  A família não informou o local do sepultamento.

 CENA CHOCANTE

Captura de Tela 2020 10 18 às 5.15.38 PM
Foto: Amanda Vieira, amiga da família, acompanhou o parto do bebê (Elivaldo Pamplona/ O Liberal)

Familiares também relataram que a jovem fez todos os exames necessários antes do parto e não foi detectada nenhuma anormalidade com a criança que pudesse interferir em seu nascimento.

Mas em relato à Redação Integrada de O Liberal, uma amiga da família, Amanda Vieira, disse que Daria chegou na sexta-feira pela manhã na Santa Casa já em trabalho de parto. Segundo a amiga, Daira não teria feito o parto em Ourém, município do nordeste do Pará, em razão de o bebê apresentar problemas no rim.

Amanda diz não aguentou a cena e saiu gritando da sala de parto. A mãe desmaiou e a equipe da Santa Casa levou Daira para finalmente levar a cesária e retirar o corpo do bebê. “Eu vi o bebê depois. Ele estava inchado, com a barriga muito grande. A pele estava descascando, soltando”, afirmou Amanda.

Leia a reportagem do O Liberal

SANTA CASA

Bebê ia nascer na Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará
Fundação Santa Casa de Misericórdia do Pará — Foto: Cristino Martins/Agência Pará

O Hospital que é referência em atendimento materno-infantil no estado se defende esclarecendo que a gestante, quando foi atendida, já se encontrava em trabalho de parto adiantado, o que segundo eles teria evoluido para um quadro de parto normal muito rapidamente.

Ainda segundo a maternidade, o bebê apresentava múltiplas deformações fetais. Confira a nota oficial do hospital:

“A Santa Casa do Pará lamenta profundamente o ocorrido na manhã deste sábado, 17. A instituição informa que a gestante vinda de Ourém recebeu atendimento da equipe assim que deu entrada. Por conta de ser prematuro e de múltiplas deformações fetais e apresentar tecido amolecido, foram realizadas diversas manobras para a retirada do mesmo, ainda assim houveram complicações na extração fetal. A Santa Casa do Pará está dando todo apoio à família e já abriu uma investigação para tomar as devidas providências internas para apurar todo o ocorrido durante o atendimento.” 

PROVIDÊNCIAS

O governador do Pará, Helder Barbalho, anunciou neste sábado (17) que solicitou à Polícia Civil a abertura de um inquérito para apurar a morte do bebê e se manifestou nas redes sociais, afirmando que mandou afastar todos os envolvidos no atendimento à gestante.

“Ao tomar conhecimento sobre o triste acontecimento na manhã deste sábado, na Santa Casa do Pará, mandei imediatamente afastar todos os envolvidos que participaram do atendimento a gestante, vinda de Ourém”. 

Segundo o advogado da família, uma equipe do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) foi acionada para realizar uma necropsia no criança.

Em nota, a Santa Casa do Pará lamentou o ocorrido e informou que um procedimento administrativo foi aberto para que sejam tomadas as devidas providências.

Confira também:

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias