Municípios do interior poderão ter leitos com suporte avançado para atender possíveis casos graves de Covid-19

BB52AB98-8617-4392-B350-923E2262305F
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | Como parte do Plano de Contingência Estadual de combate ao novo coronavírus (Covid-19), o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), planeja instalar salas de estabilização com leitos de unidade semi-intensiva nos municípios polo do interior do Amazonas. Para os municípios que não têm contato via terrestre com a capital será reforçado o serviço de UTI aérea caso haja necessidade de transferência de pacientes graves para a capital.

Publicidade

Até o momento não há casos do novo coronavírus diagnosticado no interior. Conforme o secretário Executivo Adjunto de Atenção Especializada ao Interior, da Susam, Cássio Roberto do Espírito Santo, o plano da secretaria é instalar inicialmente 24 leitos nas novas salas de estabilização dos hospitais de referência de Parintins, Tabatinga, Tefé, Manacapuru e Itacoatiara.

Os leitos serão equipados com instrumentos de suporte avançado necessários para atendimentos de pacientes em situação crítica provocada pelo Covid-19. “Estamos adquirindo equipamentos, como ventiladores mecânicos e vamos ampliar o serviço de UTI aérea”, disse.

Todos os 62 municípios vão receber reforço de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), como luvas, máscaras e aventais, fornecidos por meio da Central de Medicamentos (Cema). Para os nove municípios do entorno de Manaus (Manacapuru, Iranduba, Novo Airão, Presidente Figueiredo, Rio Preto da Eva, Itacoatiara, Careiro da Várzea, Careiro Castanho e Autazes), a Susam está reforçando o transporte sanitário terrestre (ambulâncias), para transporte de pacientes graves.

Os profissionais de saúde do Interior também estão recebendo treinamento de prevenção e manejo clínico para o novo coronavírus. As oficinas são ministradas por técnicos da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e visa manter os profissionais preparados e atualizados para atendimento dos casos suspeitos do Covid-19.

Fronteira – Nas regiões de fronteiras internacionais do Alto Solimões, Tabatinga é o município de referência.  Lá, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e Maternidade Celina Villacrez Ruiz já possui uma sala vermelha e receberá mais três leitos na sala de estabilização.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias