Estudo investiga mortes em ambiente extra-hospitalar durante pandemia de Covid-19

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM | A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) é uma das instituições parceiras do estudo para investigar os óbitos registrados em ambiente extra-hospitalar, ocorridos em Manaus, durante a pandemia de Covid-19.

Publicidade

A investigação inicia nesta sexta-feira (22/05) e busca identificar a possível relação das mortes com casos da doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2).

 A investigação é coordenada pelo Ministério da Saúde por meio do Programa Treinamento em Epidemiologia Aplicada, realizado no âmbito dos Serviços do Sistema Único de Saúde, e será feita em colaboração com a Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa/Manaus) e a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam). Essa investigação faz parte de uma resposta coordenada do Sistema Único de Saúde (SUS) e está prevista como ação de vigilância em saúde.

Para a investigação, foi realizado um cálculo amostral, resultando em 402 óbitos registrados por outras causas, não Covid-19. Os familiares das pessoas que evoluíram a óbito serão contactados para entrevista até o fim de junho de 2020.  As equipes das instituições participantes da investigação vão realizar entrevistas presenciais ou ligações telefônicas para coleta de dados.

 Os profissionais estarão em campo devidamente identificados com coletes do Ministério da Saúde, da FVS-AM ou da Semsa/Manaus. As equipes irão utilizar carros oficiais das instituições. Serão realizados testes rápidos para detecção de anticorpos do SARS-CoV-2 em familiares das pessoas que foram a óbito. O intuito é estabelecer o vínculo epidemiológico da infecção por Covid-19.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, pede a colaboração da sociedade para atender as equipes que estão realizando a investigação. “A colaboração de todos é essencial para ajudar na realização dessa investigação que é importantíssima para o esclarecimento dos óbitos ocorridos em pacientes que não tiveram acesso aos serviços de saúde e que, portanto, não foram testados para confirmação de Covid-19”, finalizou.

Rosemary reforça ainda que o perigo não passou. “O Covid-19 é uma realidade e para sua proteção mantenha o distanciamento social e ponha em prática as medidas de prevenção continuamente para evitar o aumento de casos na população em geral”, explicou.

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Acompanhe a Covid-19 no Amazonas

Receba a seleção das melhores notícias

BABADO FORTE