CÓDIGO DE ÉTICA

O Imediato é um produto, parte de uma organização de notícias que cobre os fatos mais relevantes das cidades onde atua, buscando mostrar, em tempo real,  os principais acontecimentos, mas, principalmente trazendo luz e conhecimento da realidade das áreas mais periféricas com o objetivo de alertar e contribuir para soluções práticas que ajudem as pessoas a viverem melhor.

Publicidade

Nossa missão é não permitir que estas pessoas permaneçam no esquecimento de décadas, promovido por uma cobertura jornalística seletiva e minoritária. Com uma linguagem simples, popular, falamos da ausência do Poder Público, suas falhas e demagogias. 

Essa missão exige que nossos leitores e fontes possam ter a máxima confiança na precisão de nosso jornalismo; a justiça no nosso processo de relatar os fatos; e a independência necessária de nossos julgamentos na hora de definir como abordaremos a notícias, buscando distância da influência de apoiadores e patrocinadores financeiros.

Uma maneira de proteger nosso compromisso com precisão, integridade e independência é projetando ativamente um modelo de negócios que se baseia em fluxos de suporte diversificados. Nosso esforço, em pouco mais de 2 anos de existência, é construir diversas   fontes de receitas, que incluem grandes doações de fundações e indivíduos; contribuições dos leitores; patrocínios pagos que aparecem em nosso site e boletins por e-mail; patrocínios pagos de nossos eventos ao vivo; e um quadro de empregos remunerados. Acreditamos que quanto mais diversas forem nossas fontes de receita, mais sólida será nossa independência e mais fortes serão nossas perspectivas de sustentabilidade a longo prazo.

Além de construir um modelo de negócios que reforça nossa independência, também adotamos um código de ética para governar a conduta dos membros de nossa equipe e daqueles com quem trabalhamos.

O código de ética da Rede Norte Digital se inspira em outras organizações de notícias pelo mundo, incluindo o Marshall Project, o ProPublica, o Texas Tribune e o Center for Investigative Reporting, e de organizações profissionais como a Education Writers Association e a Society for Professional Journalists . Nosso código de ética também reflete valores e padrões de prática de longa data da profissão de jornalista. Circunstâncias excepcionais podem exigir exceções a este código, e o revisaremos à medida que nossas experiências e normas em jornalismo e mídia digital evoluírem.

Qualquer membro da equipe que tenha perguntas ou questões levantadas nessas políticas é incentivado a levá-los ao supervisor ou editor. Em caso de dúvida, sugerimos perguntar.

 

Nossas histórias são precisas.

No que pese nosso principal modelo de construção de in formação se basear em uma apuração, na medida em que transmitimos a informação ao vivo, nosso jornalismo deve ser preciso, justo e claro para que os leitores confiem nele. 

Para criar confiança, os jornalistas da Rede Norte Digital devem:

Verificar os fatos; corrigir os erros de forma transparente e rápida; e aprender com os erros para que não sejam repetidos. Se você encontrar um erro, envie um email para [email protected].

Nunca plagie e nunca distorça deliberadamente fatos ou contexto, incluindo informações visuais. (Plágio e distorção deliberada são motivos de disciplina, incluindo rescisão.).

Identifique as fontes de suas reportagens, sempre que possível, já que trabalhamos com conteúdo sensível e que pode, inclusive, colocar em risco a vida de nossas fontes. 

Se as informações são provenientes de pessoas, documentos ou relatórios exclusivos que apareceram em outros lugares. Procure uma verificação independente dessas várias fontes para confirmar (ou contradizer) reivindicações, especialmente aquelas feitas por funcionários públicos ou qualquer pessoa com uma agenda além de apenas relatar a verdade.

Trabalhe da melhor maneira possível para avaliar evidências e reivindicações sem viés, sempre examinando maneiras pelas quais experiências e valores pessoais podem moldar nossas reportagens.

Forneça o contexto em que os leitores precisam entender os fatos. Reconheça áreas de incerteza, que sempre existirão, apesar dos nossos melhores esforços para resolvê-las. Escreva quando não estiver certo ou não houver confirmação de determinada informação.

Nossa coleta de notícias deve ser sempre realizada de forma abrangente, ética e transparente. 

Nos identificamos para as fontes de maneira aberta e precisa, nunca nos deturpando para obter uma história. Quando procuramos uma entrevista, nos identificamos como jornalistas do Imediato (Rede Norte Digital) e explicamos como nossas reportagens serão publicadas.

Evite usar fontes sem nome, sempre que possível. Quando fontes que estão fornecendo informações que outras pessoas também podem fornecer, procurem manter seu nome fora da reportagem, faça todos os esforços para falar com outra pessoa.

Reconheça que suas fontes podem estar vulneráveis ​​às consequências negativas de falar com a imprensa e, portanto, pode ser apropriado citá-las sem nome ao relatar.

Mostre compaixão por aqueles que podem ser afetados adversamente pela cobertura noticiosa. Use sensibilidade especial ao lidar com crianças e fontes ou indivíduos inexperientes. Principalmente quando perceber o baixo grau de instrução das pessoas ou a incapacidade de compreensão da narrativa. 

No caso de escrever sobre menores, preserve seus nomes e imagem, como já previsto em lei. Não temos o direito de comprometer seus futuros ou um possível processo de regeneração social, caso o mesmo esteja envolvido em ato ilícito. 

Devemos respeitar solenemente o sofrimento humano, principalmente de familiares envolvidos em acidentes, crimes ou algo que exponha a intimidade da relação familiar, salvo quando houver autorização expressa dos mesmos e ainda assim é necessário que se avalie a necessidade de cruzar essa linha, com muito critério.

Explique por que uma fonte não é nomeada ao usar uma fonte anônima é inevitável e apropriada e negocie com essas fontes para fornecer aos leitores o máximo de informações possível sobre elas, para que os leitores possam avaliar a confiabilidade das fontes.

Compartilhe informações sobre fontes com editores, para que editores e repórteres possam avaliar em conjunto se, e como usar as informações fornecidas. Quaisquer citações anônimas devem refletir a conversa entre um repórter e um editor.

Tenha conversas claras com as fontes sobre como usar as informações fornecidas, especialmente quando as fontes não têm uma experiência significativa na mídia. Esclareça as expectativas de uma fonte de manter as informações “fora de registro”, “em segundo plano” e outros status, porque esses termos podem significar coisas diferentes para pessoas diferentes.

Dê às pessoas o direito de responder a denúncias que possam retratá-las de uma maneira negativa e explique aos leitores os esforços que procuramos para obter uma resposta nos casos em que as fontes não respondem. Todos têm o direito de se defender de qualquer acusação. Não somos juízes para julgar quem está certo e quem está errado. Nosso papel é relatar os fatos com o máximo de isenção possível, considerando que todos somos humanos e é inevitável não se envolver com a notícia em um determinado grau.

Busque ativamente fontes que não tenham acesso a amplas plataformas públicas, além de documentar as reivindicações daqueles com influência e poder. Vamos usar nosso poder midiático para registrar, reivindicar os direitos daqueles que não possuem instrução ou capacidade de voz ativamente social para brigar pelos seus direitos básicos.