Justin Bieber confirma em rede social que contraiu doença de Lyme

Foto: Reprodução da Internet
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Isto É | O cantor Justin Bieber revelou nesta quarta-feira (8) através de uma publicação no Instagram que foi diagnosticado no ano passado com a doença de Lyme.   

Publicidade

A informação foi revelada após uma fonte do site “TMZ” ter assistido o documentário “Seasons”, que mostra detalhes da vida do artista canadense. O vídeo será lançado no dia 27 de janeiro no YouTube.   

“Enquanto muitos ficavam dizendo que ‘Justin Bieber está horrível’ ou usando drogas, eles não perceberam que recentemente fui diagnosticado com a doença de Lyme. Não apenas isso, eu tive um caso crônico de mononucleose que afetou a minha pele, meu cérebro, minha energia e minha saúde no geral”, escreveu o astro.  

https://www.instagram.com/p/B7EnV5VHEYp/?utm_source=ig_web_copy_link

“Essas coisas serão explicadas na série documental que eu vou colocar no YouTube em breve. Vocês vão poder saber sobre tudo que estou lutando e superando. Os últimos anos foram difíceis, mas ter o tratamento certo me ajudará a lidar com essa doença incurável. Voltarei e melhor do que nunca”, continuou Bieber.   

De acordo com o site, os médicos não estavam conseguindo identificar a doença que o artista sofria até o final de 2019 e, por conta disso, Bieber “estava realmente enfrentando uma depressão extrema”.   

Agora sabendo da doença, Bieber já iniciou os tratamentos com os remédios adequados e vem se preparando para lançar um novo disco e fazer turnês em 2020. Na sexta-feira (3), a primeira música, chamada de “Yummi”, foi lançada.   

A doença que Bieber vem lutando contra foi descoberta na década de 1970, na cidade de Lyme, nos Estados Unidos. Ela é causada por uma picada de carrapato que pode transmitir uma bactéria e afetar os sistemas do corpo.   

Outra artista que também sofreu com a doença foi a cantora Avril Lavigne. Ela precisou parar a carreira por cinco anos para se tratar.(ANSA)

Fonte: Isto É

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias