Está com nome sujo? Aproveite o ‘Feirão Limpa Nome’, do Serasa. Saiba mais!

Foto: Reprodução/Internet
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – Am | O número de brasileiros inadimplentes só cresce a cada dia, e os consumidores com contas atrasadas e o nome negativado podem renegociar suas dívidas, a partir desta segunda-feira, 4, no feirão online do Serasa Consumidor.

Publicidade

O evento reúne 31 empresas, entre elas bancos e fornecedores de serviços de telecomunicações. De acordo com o organizador, os credores oferecem descontos de até 98% no valor da dívida para quem for quitar os débitos. A ação vai até o dia 30 deste mês.

Segundo o Serasa Experian, em outubro de 2019 o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63,2 milhões. Houve um aumento de 3 milhões de pessoas endividadas na comparação com outubro do ano passado, quando eram 60,1 milhões.

Para renegociar a dívida pela internet, é preciso acessar o site do Feirão Limpa Nome. Lá, o consumidor consulta seu CPF e vê se tem dívida com os credores que participam da ação. Caso tenha, o devedor clica na proposta feita e, se não concordar com o acordo proposto, é possível fazer uma contra-proposta. Ao chegar nos termos, basta imprimir o boleto e pagar.

As empresas participantes são Santander, Itaú, Recovery, Ativos, Net, Claro, Embatel, Anhaguera, Credsystem, Ipanema, Unopar, Sky, Nextel, Banco BMG, Digio, Hoepers, Porto Seguro, Tricard, Oi, Zema, Unic, Fama, Pitágoras, Uniderp, Unime, Itaucard, Hipercard, Ativos/S.A, Elmo, Tenda, Energisa, EDP e Banco Original. Além do desconto, o Serasa afirmou que há também condições diferenciadas para o pagamento dos acordos. 

Inadimplência

Segundo estudo desenvolvido pela Serasa Experian, em outubro de 2019, o número de consumidores inadimplentes no país chegou a 63,2 milhões. O montante alcançado pelas dívidas até setembro de 2019 foi de 252 bilhões de reais, com o valor médio de 3.997 reais.

A maior concentração dos negativados tem entre 26 e 40 anos (38,3% do total). Em segundo no ranking de participação entre os inadimplentes estão pessoas de 41 e 60 anos, que correspondem a 34,5% do total.

 O setor de utilities (contas básicas como energia elétrica, água e gás) respondeu por 19% do total de débitos em atraso. O setor de telefonia alcançou 11% do montante. Já o setor de varejo respondeu por 12,7% da inadimplência.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias