Deputados reunem 20 cabos eleitorais em segunda tentativa de protesto contra o Governo do AM

Foto: Divulgação
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus-AM | Em menos de uma semana, um grupo de cabos eleitorais e assessores dos deputados estaduais Wilker Barreto e Dermilson Chagas, se manifestaram pela segunda vez contra o Governo do Estado do Amazonas. Nesta segunda tentativa o movimento reuniu cerca de 20 manifestantes.

Publicidade

O ato aconteceu na noite desta sexta-feira (27) na rotatória do Hospital Francisca Mendes e contou com a presença dos mesmos cabos eleitorais que estavam empregadosno antigo governo de Amazonino Mendes.

Segundo a atual gestão, o ex-governante deixou um rombo de R$ 3 bilhões somente no setor de Saúde, com pagamentos de trabalhadores terceirizados, empresas médicas e fornecedores atrasados em até seis meses.

Durante a manifestação que aconteceu na semana passada, os 12 cabos eleitorais e assessores de Wilker e Dermilson mais o ex-secretário de Produção Rural de Amazonino Mendes, José Aparecido, estiveram na Avenida Djalma Batista.

Outro que sumiu desta vez foi Thiago Botelho, que já foi assessor do ex-deputado David Almeida. Ele surgiu para criticar a Saúde no último mês, encabeçando na semana passada mobilização para o protesto na Avenida Djalma Batista. Até o ano passado ele nunca havia se manifestado em público.

FARSA FOI REVELADA COM VAZAMENTO DE CONVERSAS
Ao longo dessa semana, assessores de Wilker Barreto tentavam arregimentar pessoas para fazer volume na manifestação desta noite, na rotatória em frente ao Hospital Francisca Mendes. Nas conversas e audios de whatsapp vazados ofereciam R$ 30 à pessoa que fingisse ser manifestante nessa noite. E diziam, como noticiaram sites e blogs da cidade, que era melhor ‘’pegar pessoas do Mutirão, o bairro, porque era perto de onde seria a manifestação.

WhatsApp Image 2019 12 27 at 14.44.00

Diante da farsa revelada, que atesta os interesses particulares dos envolvidos, mais uma vez a mobilização foi mínima. Até mesmo o MBL, movimento que se diz contra a corrupção, que defende a moral e os bons costumes, embarcou na armação, conforme revelam as conversas de whatsapp vazadas e vídeos do representante do MBL no Amazonas, Jhony Souza, no Facebook, onde convocava para a manifestação. E quem vai responsabilizar o deputado, que usa assessores pagos com dinheiro público, lotados em seu gabinete, para forjar manifestações?

O deputado Dermilson Chagas também criou um grupo de whatsapp para recrutar cabos eleitorais e assessores para o protesto. No grupo de whatsapp, cabos eleitorais reclamavam que a adesão era mínima, que havia dado a hora do início da manifestação, sete horas da noite, e ainda não tinha ninguém. E um deles diz: ‘’Gente, eu tô aqui na Bola… não tô vendo ninguém da manifestação… chegue aqui debaixo de chuva… tô dentro do Francisca Mendes (hospital), por favor me avisem por aqui (grupo de whatsapp) quando alguém chegar…’’

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias