Menina de 5 anos morre após ser estuprada por enfermeiro em hospital no AM

Imagem: Reprodução da Internet
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

ATALAIA DO NORTE | Uma criança de 5 anos, morreu na manhã desta sexta-feira (19), após ser estuprada por um enfermeiro, identificado como Jocélio Gomes Ferreira, de 29 anos, que trabalhava no hospital São Sebastião, em Atalaia do Norte ( localizado a 1.136 km de Manaus).

Publicidade

Segundo a polícia, o crime teria acontecido dentro da unidade hospitalar. 

A criança estava internada na companhia da mãe, para tratar de uma infecção, e foi estuprada durante um procedimento médico por volta das 23h da última terça-feira (17), quando a responsável se retirou do local por alguns minutos.

Segundo o delegado David Martins, titular da 50ª Delegacia Interativa de Polícia, quando a mãe da menina voltou ao quarto, o enfermeiro estava com as calças a baixo dos joelhos ao lado do leito da criança. 

“Ao ser questionado pela mãe da menina sobre as condições que se apresentava no local, o infrator justificou que estava retornando do banheiro porque precisava aplicar um medicamento na criança. Imediatamente, a mulher saiu em busca do médico responsável pelo plantão e o levou até o leito, onde encontrou a menina sem a fralda descartável que utilizava. A criança estava com a respiração alterada, rigidez nas pernas e visível abalo emocional. Em decorrência disso, a menina teve o estado agravado decorrente do trauma psicológico causado pela violência sexual e veio a óbito por volta das 3h20 de quarta-feira (17)”, explicou Martins.

O suspeito já foi capturado, e encaminhado à 50ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP).

A polícia informou ainda, que a criança tinha nacionalidade peruana e era deficiente intelectual, e que o enfermeiro era contratado da prefeitura de Atalaia para realizar plantões.

No momento do crime, a criança chegou a passar pelo exame de corpo de delito por um médico plantonista ainda no hospital, que contatou a violência sexual. Na vagina, vestígios da introdução de dedos ou pênis foram contatados, já o ânus da criança apresentava lacerações de quatro centímetros na parte inferior.

Em nota a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), informou que está acompanhando o caso e que foi informada pela Secretaria Executiva de Atenção Especializada do Interior (SEA Interior), repassando a informação também para a Prefeitura e o Conselho Regional de Enfermagem do Amazonas (Coren).

O homem já responde por outros crimes de abuso sexual contra menores.

ÚLTIMAS DO AUXÍLIO EMERGENCIAL

O COVID-19 NO AMAZONAS HOJE

Receba a seleção das melhores notícias