Deputados reforçam suspeição de Josué no processo de impeachment do governador e formação de comissão especial é adiada

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email

Manaus – AM A formação da comissão especial que analisará o processo de impeachment do governador do Amazonas, Wilson Lima, e do vice-governador, Carlos Almeida Filho, foi adiada na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), na tarde desta terça-feira (12).

Houve muita discussão na sessão virtual sobre a condução do processo pelo presidente da Aleam, deputado Josué Neto (PRTB). 

Publicidade

O deputado Saullo Vianna (PTB), vice-líder do governo na casa, apresentou pedido de afastamento do presidente da casa na condução do procedimento. Os parlamentares da base aliada argumentaram que Josué Neto forçou a leitura da leitura da denúncia, atropelando o plenário. Os aliados de Wilson Lima solicitaram a votação em plenário do requerimento de Vianna.

A discussão continuou até quando o presidente da Aleam resolveu dizer para os deputados apresentarem as suas contestações por escrito à Mesa Diretora do pode legislativo estadual. 

Pela forma do pedido de impeachment, com a saída do atual governador e do vice juntos, é Josué quem assume o governo do estado.

Adin 

O deputado estadual Dr. Gomes, líder do PSC na Aleam, ingressou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) a fim de barrar o pedido de afastamento do governador do estado e do vice. 

De acordo com o parlamentar, não compete a Aleam julgar o governador por crime de responsabilidade. 

AUXÍLIO EMERGENCIAL

Acompanhe a Covid-19 no Amazonas

Receba a seleção das melhores notícias

BABADO FORTE